Negócios

Proposta de Agravamento do IVA (Imposto do Valor Agregado) sobre adubos e fertilizantes não-orgânicos foi rejeitada pela ANPIFERT

Parceria entre UNB e Embrapa resulta em biofertilizante nanotecnológico

A Associação Nacional De Produtores e Importadores de Fertilizantes – ANPIFERT congratula a decisão adotada pela Assembleia da República de rejeitar a proposta de aditamento do PAN com vista ao agravamento da taxa de IVA (Imposto do Valor Agregado) de 6% para 13% na utilização de adubos sintetizados e fertilizantes não-orgânicos.

Recorde-se que a proposta de agravamento do IVA (Imposto do Valor Agregado) de adubos e fertilizantes não-orgânicos apresentada pelo PAN estava a ser fortemente contestada por instituições do setor, nomeadamente pela Associação Nacional De Produtores e Importadores de Fertilizantes (ANPIFERT), pela Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal (CONFAGRI) e pela Confederação Nacional da Agricultura (CNA).

“A Assembleia da República soube estar à altura das expectativas, sem ceder a uma proposta aparentemente ‘benigna’ que poucas vantagens trariam para o ambiente, para o consumidor e para a população”, começa por referir Jorge Nogueira, presidente da direção da ANPIFERT. No mesmo comunicado, o responsável afirma que “o setor se congratula com a decisão adotada e espera que esta intenção caia por terra e não volte tão cedo a ser colocada em cima da mesa, sem um debate profundo, inclusivo e informado”.

Vida Rural, 30/11/2020

Fonte da Imagem: pxhere