Negócios

Estado de Minas Gerais terá investimento de mais de R$220 milhões

Mesmo em meio ao cenário adverso criado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no país, o governo de Minas Gerais assinou novos protocolos de intenções para aportes privados no Estado. Com investimentos de R$ 229,5 milhões, projetos dos setores de fertilizantes e de siderurgia serão implantados, nos próximos exercícios, nas regiões Norte e Alto Paranaíba do Estado.

De acordo com o diretor de Atração de Investimentos para Cadeias Produtivas de Base Humanas da Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (Indi), João Paulo Braga, mesmo que as incertezas impostas pelo Covid-19 levem a maioria das empresas a reprogramarem e até suspenderem seus investimentos, setores essenciais não param e precisam preparar ou adequar suas operações, como é o caso do agronegócio e da liga de silício, importante insumo para o setor médico-hospitalar.

“Atrair investimentos privados neste momento, é fundamental para que a gente possa pensar na retomada e na diminuição dos impactos da crise para a economia. E neste sentido está a atuação do Indi, na permanente atração de negócios e empresas para Minas Gerais”, explicou.

Apenas a empresa Verde AgriTech, pertencente ao grupo inglês Verde AgriTech PL, assinou protocolo de investimento de R$ 22,5 milhões na unidade do município de São Gotardo, no Alto Paranaíba.

A empresa atua no mercado de fertilizantes e destinará os recursos para a expansão do projeto Cerrado Verde, que tem por objetivo minerar Siltito glauconitico e industrializá-lo como aditivo para fertilizantes e ração animal. Conforme Braga, a iniciativa amplia as atividades da unidade mineira que, desde 2018, tem capacidade produtiva de 45 toneladas do produto por hora.

“O Brasil importa grande parte dos fertilizantes utilizados pelo agronegócio, ficando atrás apenas da China na dependência internacional por este tipo de insumo. Em situações adversas como a do momento, em que há interrupções na cadeia de logística global, aumenta a vulnerabilidade da produção do País. Daí a importância de se investir no setor, como está fazendo a Verde AgriTech”, explicou.

Segundo o diretor, chama atenção também a localização do empreendimento, no Alto Paranaíba, bem próximo às lavouras agrícolas consumidoras do insumo. Além do benefício direto ao município de São Gotardo, onde está a lavra, outro município que será bastante beneficiado com os serviços assessórios ao empreendimento é a pequena Matutina, na região.

“O projeto Cerrado Verde já está em operação e já recebeu R$ 47 milhões em investimentos. Com a expansão, até o fim deste ano terão sido investidos outros R$ 22,5 milhões, totalizando quase R$ 70 milhões e 85 empregos gerados”, completou.

Diário do Comércio, 23/04/2020