Produção

Uralchem suspende produção na fábrica de Azot

Uralchem ​​interrompeu a produção em sua fábrica de Azot em Berezniki, Perm Krai, na quarta-feira, 8 de julho, devido ao teor de cloreto de cálcio subindo abruptamente no rio Kama, de onde a usina leva água para produção. 

A poluição do corpo de água registrada em 7 e 8 de julho de 2020 representou uma ameaça à segurança do funcionamento dos equipamentos da usina. Uralchem ​​pediu às autoridades ambientais que investigassem imediatamente o incidente e determinassem a causa da poluição. 

A unidade, que produz amônia, ácido nítrico, ureia, nitrito de sódio e nitrato de amônio, utiliza a água do rio para fins de produção, retirando-a de um corpo de água de superfície que faz parte do reservatório de Kama. A usina possui um contrato de uso de água com a Administração da Bacia de Kama, sob a Agência Federal de Recursos Hídricos. 

O conteúdo de cloreto de cálcio na água é estritamente regulado por decretos e regras técnicas internas da empresa e é controlado por um laboratório credenciado pela Azot. A usina interrompeu a operação de suas instalações de produção em 7 de julho devido ao excesso de cloretos na água de Kama, pois ameaçava o funcionamento dos equipamentos e poderia causar um desligamento de emergência. O tempo ocioso resultante significa perdas consideráveis ​​para a planta. 

A empresa decidiu enviar solicitações ao Promotor de Meio Ambiente de Berezniki, ao governo da cidade e aos escritórios locais de Rosprirodnadzor (Serviço Federal de Supervisão Ambiental), Rostekhnadzor (Serviço Federal de Supervisão Tecnológica) e EMERCOM. A empresa pediu a essas autoridades que tomem medidas urgentes para resolver a situação e investigar se a legislação atual foi violada. 

World Fertilizer, 10/07/2020