Produção

Implantação de mineradora aquece economia de Patrocínio, MG

A segunda matéria da série de reportagens do projeto “Integração Cidade” revelou a movimentação econômica de Patrocínio, no Alto Paranaíba. O café e o comércio são as principais alavancas da economia local. Agora, a implantação de uma mineradora promete ampliar o desenvolvimento econômico.
Com mais de 30 mil pés em produção os cafezais embelezam a paisagem e são os cartões postais de Patrocínio. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município é o maior produtor de café do Brasil. Há 16 anos nessa atividade, os agricultores José Astrogildo e a mulher dele, Gislene de Oliveira, se sentem satisfeitos por contribuírem com essa marca. “Tudo que nós conseguimos vem do café”, disse Gislene.
Os números mostram a importância dessa cultura. São 700 produtores em mais de 850 propriedades que colocam no mercado cerca de 800 mil sacas de café, por ano. Isso gera cerca de 5 mil empregos diretos e mais 20 mil indiretos, segundo a Associação Associação dos Cafeicultores da Região de Patrocínio (Acarpa).
“Hoje, em termos de números para nossa economia, o café representa em torno de 80% da nossa geração de receita. E Patrocínio se desponta no cenário internacional também mostrando a sua qualidade”, disse o presidente da Acarpa, Marcelo Queiroz.
O setor de comércio e serviços também tem um papel importante. “Nós ocupamos 18 mil empregos. Então é uma classe forte, que depende de nós mesmos e do próprio comércio. Considero que nosso comércio e nossas indústrias já estabelecidas estão sólidas aqui”, disse o presidente da Associação Comercial e Industrial de Patrocínio (Acip), Marcos Valério Jacinto.
Além do café e do comércio que movimentam a economia, Patrocínio passa por um novo momento que está ampliando as perspectivas de mais desenvolvimento econômico. A partir do ano que vem serão investidos no município R$ 3,6 bilhões na implantação de uma mineradora de fosfatados. O projeto Salitre, como é chamado pela Vale Fosfértil, prevâ a abertura de uma mina de rocha fosfática e a construção de uma unidade industrial para a produção de fertilizantes.
Para o secretário de Desenvolvimento Econômico de Patrocínio, Thiago Miranda, esse investimento vai atrair outros empreendimentos, que vão resultar em mais indústrias e empregos. “Esse investimento de R$ 3,6 bilhões é somente da Vale nas duas plantas que vão ser feitas em Patrocínio, uma extração mineral e planta química. Temos a perspectiva de que mais30 empresas desse porte possam fazer grandes investimentos também”, concluiu.

G1 Triângulo, 06/12/2011