Produção

Empresa sul-africana adia para 2020 o início da produção de rocha fosfática

A empresa sul-africana Kropz atrasou o início da produção de rocha fosfática no campo de Elandsfontein: antes pretendia iniciá-lo no segundo semestre de 2018, depois planejava iniciá-lo em 2019, e agora 2020 já está sendo considerado.

Ao mesmo tempo, Kropz alterou a estimativa dos custos necessários antes do início da produção – cerca de 36 milhões de dólares, em vez dos 16 milhões anteriores.

Até o momento, a Kropz investiu cerca de US $ 120 milhões em um projeto para desenvolver o depósito de fosforito de Elandsfontein. A infraestrutura de produção e suporte está quase completamente pronta.

Em geral, a produção de matérias-primas fosfatadas deve ser de 1,35 milhão de toneladas por ano, com perspectiva de crescimento para 3 milhões de toneladas por ano, sendo conduzida de forma aberta.

No verão de 2018, a Kropz firmou um acordo sobre o fornecimento de concentrado de rocha fosfática com a Foskor, o único produtor verticalmente integrado de ácido fosfórico e fertilizantes na África do Sul. Sob seus termos, as compras da Foskor representarão cerca de um terço da produção de rocha fosfática em Elandsfontein.

O problema que a Kropz ainda não conseguiu resolver é que o conteúdo de fósforo no campo de Elandsfontein é muito baixo e não permite lucro a preços mundiais atuais dos fertilizantes fosfatados.

FertilizerDaily, 30/09/2019