Novas Tecnologias

Lodo de esgoto é usado como fertilizante

Com o objetivo de gerar mais uma alternativa de adubação orgânica aos agricultores, sendo esta ainda mais barata, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e a Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan), lançaram no início de dezembro, o primeiro Manual de Uso Agrícola e Disposição do Lodo de Esgoto para o Estado do Espírito Santo. A ideia é utilizar o lodo de esgoto ou biossólido como fertilizante para fins agrícolas e florestais, já que ele é rico em matéria orgânica e em nutrientes para as plantas.
O lodo de esgoto passa por um tratamento que gera dois resíduos: o resíduo líquido e o sólido. O resíduo sólido é denominado lodo de esgoto, cujo trabalho está sendo desenvolvido para a utilização na agricultura. O objetivo é suprir as deficiências nutricionais das plantas e adicionar matéria orgânica ao solo — afirma Adelaide Costa, pesquisadora do Incaper.
Segundo ela, toda cultura precisa de uma complementação de nutrientes para atender às necessidades das plantas, levando sempre em consideração as características do solo. Essa aplicação pode ser feita com adubo tradicional ou orgânico.
Os adubos orgânicos mais utilizados na agricultura são o esterco de curral e de galinha. O lodo de esgoto higienizado entra como uma nova alternativa à adubação orgânica e reposição nutricional para as plantas — conta a pesquisadora.
Adelaide diz ainda que, em termos econômicos, a adubação orgânica tem um valor bem menor que o adubo químico tradicional. Já comparando os adubos orgânicos tradicionais com o lodo de esgoto, os trabalhos do Incaper mostraram que o preço do material proveniente do lodo é 50% mais barato.
Para que esse lodo seja disponibilizado para a agricultura, é necessário um processo de higienização que leva o número de microorganismos a um nível que não comprometa a saúde da população — explica ela.
Para Adelaide, o lodo pode substituir completamente os adubos orgânicos, pois a base da adubação orgânica é o nitrogênio. No entanto, há a necessidade de complementação com outros nutrientes, como o fósforo e o potássio, por exemplo.
O resultado da pesquisa já está concluído e a indicação já é feita para o Espírito Santo. Sendo assim, a Cesan começará a preparar os materiais a serem distribuídos aos produtores. A ideia é que essa proposta se estenda a todo o Brasil — conta.
Para mais informações, basta entrar em contato com a Incaper através do número (27) 3636-9888 ou do link
www.incaper.es.gov.br/noticia_completa.php?id=1972.

Portal Dia de Campo 27/12/2011