Novas Tecnologias

Empaer implanta experimento inédito com a cultura da mandioca em Acorizal

Para avaliar o desempenho da cultura da mandioca, difundir técnicas que permitam a expansão e o aumento da produtividade, pesquisadores da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) estão implantando experimentos inéditos com a utilização da bactéria Azospirillum fixadora de nitrogênio e consórcio com leguminosas. A pesquisa será realizada no Campo Experimental da Empresa, no município de Acorizal (62 km ao Norte de Cuiabá). O plantio da mandioca acontece no final de janeiro.
Considerada a segunda cultura mais importante da cadeia produtiva no Estado, ficando atrás apenas da pecuária de leite, a mandioca representa importante atividade socioeconômica gerando emprego e renda, tanto nas áreas rurais com o processo de produção e industrialização, como nas áreas urbanas por meio da comercialização. A pesquisadora da Empaer, Eliane Forte Daltro destaca que os experimentos vão contar com avaliação convencional da adubação química (NPK – Nitrogênio, Fósforo e Potássio), microbiológica (Azospirillum) e consorciada com leguminosas (feijão de porco e crotalária).
A novidade é a utilização da bactéria que evita o uso de adubo nitrogenado e a contaminação do meio ambiente por nitrato, que polui as águas dos rios. A bactéria penetra na raiz da planta, multiplica bem quando a fonte de Nitrogênio é o carbono, produz fitohormônios que alteram o metabolismo da planta, aumentando a absorção de água e mineral. Isso ocorre em todos os tipos de solo e clima e o uso da bactéria Azospirillum (inoculante) reduz até 50% o uso de fertilizantes. “A pesquisa pretende aumentar a produtividade com custos menores para o agricultor familiar”, ressalta Eliane.
Serão pesquisadas três variedades de mandioca utilizada para consumo de mesa e industrialização. O ciclo pode variar de oito a dezesseis meses. Eliane acredita que após dez meses de avaliação terão os primeiros resultados das cultivares mais produtivas, viabilizando o plantio da mandioca para os agricultores familiares. “Após a avaliação do desempenho, o objetivo é fornecer aos produtores rurais um conjunto de práticas recomendáveis com garantia de rendimento e menor custo de produção”, comenta.
Atualmente a mandioca é produzida em todos os municípios do Estado e está presente nas pequenas propriedades rurais como fonte alimentar e para criação de animais. Participam da avaliação dos experimentos os pesquisadores, Maria Luiza Perez Villar, Dolorice Moreti, técnico agropecuário Liduíno de Lima e o Chefe do Laboratório da Empaer, Joadir Santana Bárbara.

O Documento, 23/01/2012