Negócios

Conselho Empresarial Rússia-Brasil discute perspectivas de aumento do comércio entre os dois países

Andrey Guryev – CEO da PhosAgro, Presidente do Conselho Empresarial Rússia-Brasil e Segundo Vice-Presidente do lado russo da Comissão Intergovernamental Russo-Brasileira de Cooperação Comercial, Econômica, Científica e Técnica – atuou como presidente do Fórum Empresarial Russo-Brasileiro, realizado na capital brasileira como parte da cúpula do BRICS.

O Brasil é um dos parceiros comerciais latino-americanos mais importantes da Rússia. Nos últimos 5 anos, as exportações russas para o Brasil cresceram um terço e os fertilizantes minerais foram o principal fator de crescimento. No geral, os fertilizantes russos agora representam um terço dos fertilizantes importados do Brasil. Os participantes do fórum concordaram que é necessário um avanço econômico para impulsionar as relações entre os dois países.

Sergei Akopov, embaixador da Federação Russa no Brasil, observou: “Estamos muito satisfeitos que essa reunião tenha ocorrido. Acreditamos que este será o primeiro de muitos eventos que nos ajudarão a desenvolver ativamente mais negócios e parcerias entre a Rússia e o Brasil. O nível de interação econômica entre nós ainda não está alinhado com o real potencial econômico e as capacidades tecnológicas de nossos dois países. Estou certo de que os resultados deste fórum estabelecerão as bases para uma estratégia para expandir os horizontes de nossa cooperação.”

Gilberto Ramus, presidente da Câmara de Comércio Brasil-Rússia, está convencido de que a rotatividade dos dois países tem potencial para crescer pelo menos dez vezes: “Cinco bilhões não são nada comparados ao potencial geral das economias que se reforçam mutuamente em nossos dois países. Eles desempenham um papel estratégico crucial para garantir a segurança alimentar em todo o mundo. Gostaria de enfatizar, na presença de representantes comerciais de diferentes regiões do país, que podemos facilmente chegar a US$ 50 bilhões e até superá-lo, se as empresas russas e brasileiras se unirem.”

Odasir Zonta, membro do Conselho Empresarial Rússia-Brasil e ex-Secretário de Agricultura do Estado de Santa Catarina, enfatizou a necessidade de estender a cooperação bem-sucedida na agricultura a outros setores da economia: “Conhecemos a Rússia não apenas como um parceiro confiável no campo de fertilizantes minerais, mas também como fornecedor de tecnologias agrícolas: o estado de Santa Catarina, onde trabalhei, foi o primeiro em nosso país a introduzir tecnologias russas anti-granizo. Já cooperamos em muitas áreas da agricultura, mas precisamos avançar e espalhar nossa experiência para estimular o comércio entre todos os países do BRICS. E o fórum de hoje nos ajudará com isso.”

O presidente do Grupo Parlamentar Brasil-Rússia, Daniel Silveira, confirmou que a Rússia desempenha um papel incontestável no crescimento da economia brasileira. “Tanto as empresas quanto o governo reconhecem isso. Definitivamente, estamos interessados ​​em cooperação. Especialmente no campo da agricultura, tecnologia, pesquisa e troca de informações, onde elaboraremos uma abordagem coerente para o desenvolvimento futuro”, disse Silveira.

O presidente do Conselho Empresarial Rússia-Brasil e o CEO da PhosAgro, Andrey Guryev, observaram que os negócios e o governo dos dois países precisam trabalhar juntos para reenergizar as relações econômicas bilaterais. Segundo Andrey Guryev, o compromisso mútuo de simplificar procedimentos burocráticos e diversificar a logística ajudará a expandir a gama de produtos de alta qualidade da Rússia, a aumentar o comércio entre os países e a facilitar o crescimento da renda das economias reais dos dois países.

“Até o momento, a gama de projetos considerados no âmbito do Conselho de Empresários Rússia-Brasil é bastante extensa: inclui iniciativas nas áreas de aviação e defesa, engenharia pesada e de energia, produtos farmacêuticos, metalurgia, agricultura e, é claro, fertilizantes.

“A contribuição da indústria de fertilizantes minerais para o comércio bilateral é facilitada pela decisão do Brasil em 2014 de abolir a tarifa de 6% sobre as importações de fertilizantes russos de alta qualidade. Mais uma vez, quero agradecer às autoridades brasileiras por esta solução mutuamente benéfica. A escolha a favor dos fertilizantes russos oferece aos agricultores brasileiros uma vantagem competitiva adicional: garante a segurança de seus produtos agrícolas para os consumidores.

PhosAgro, 15/11/2019

Fonte da Imagem: Freepik