Negócios

As bielorussas Gomel Chemical Plant e Grodno Azot poderão perder mercado Ucraniano

Bielorrússia - freepik

A Gomel Chemical Plant e a Grodno Azot na Bielorrússia, enfrentaram as contra-ações de seus concorrentes no mercado ucraniano de fertilizantes minerais. Em agosto de 2019, as empresas do Grupo DF iniciaram uma investigação especial relativa à importação de fertilizantes minerais. Representantes do Grupo DF apelaram ao Ministério de Desenvolvimento Econômico, Comércio e Agricultura da Ucrânia com uma reclamação de que os importadores limitam seus direitos.

A empresa sugeriu a introdução de cotas de importação de fertilizantes com limites diferentes de acordo com o país. Na Bielorrússia, dizia respeito, em primeiro lugar, à Gomel Chemical Plant e à Grodno Azot, cuja atividade seria gravemente afetada pela introdução das quotas.

A investigação especial relativa à importação de fertilizantes minerais foi conduzida pela Comissão Interdepartamental de Comércio Internacional da Ucrânia. Em junho de 2020, a Comissão declarou que se recusava a impor limitações à importação de fertilizantes minerais.

O Grupo DF moveu uma ação contra o Ministério de Desenvolvimento Econômico, Comércio e Agricultura da Ucrânia ao Tribunal de Kiev com um pedido para admitir a ilegalidade de sua ação e cancelar sua decisão.

O julgamento do caso estava previsto para janeiro de 2021. No entanto, os reclamantes entraram com pedido de antecipação do processo, o qual foi deferido. A audiência preliminar foi realizada em 2 de dezembro. Considerou-se a participação de terceiros por parte dos réus. Representantes da Gomel Chemical Plant e da Grodno Azot fizeram pedidos semelhantes, que também foram aprovados pelo Tribunal. A próxima audiência está marcada para 16 de dezembro.

Fertilizer Daily, 10/12/2020

Fonte da Imagem: Freepik