Mercado

Trabalhadores da Petrobras deflagram greve por tempo indeterminado

Os trabalhadores da Petrobras na Bahia deflagram nesta quarta-feira (16) greve por tempo indeterminado. Em assembleias em 11 pontos de Salvador, na BR-324 e nas cidades de Candeias, Pojuca, São Sebastião do Passé e Alagoinhas, os petroleiros rejeitaram a proposta da empresa de reajuste de 7,23%, além de gratificação.
A categoria pede 10% de ganho real no salário base e melhoria na segurança no ambiente de trabalho. Os funcionários da multinacional também querem revisão do Plano de Cargos e Salários (PCS) e melhorias no plano de saúde da categoria.
De acordo com o diretor do Sindicato dos Petroleiros na Bahia (Sindipetro), Leonardo Urpia, representantes dos trabalhadores seguem para Brasília no próximo dia 22, onde se reúnem com a categoria nacional e discutem se deflagram greve em todo país. Representantes dos petroleiros de outros estados também discutem se fazem paralisações locais.
Urpia alega que a Petrobras não discutiu com a categoria o percentual de funcionários que será mantido durante o movimento. “”A empresa não quis discutir com o sindicato, mas vamos fazer os esforços possíveis para controlar a produção da empresa e garantimos que não vai impactar no fornecimento de gás de cozinha para a população””.
De acordo com Urpia, a Bahia produz itens de todas etapas da cadeia do petróleo, incluindo biodiesel, gás natural, fertilizantes e refino do petróleo. Por isso, a greve deve impactar na economia regional e nacional, segundo o sindicalista.
A reportagem entrou em contato com a assessoria da Petrobras e conversou com a assessora Cristina Apulto, que ficou de retornar com a posição da empresa.

A Tarde on line, 16/11/2011