Mercado

Nos EUA, as inundações deixaram os agricultores sem fertilizantes

“A CHS, considerada uma das maiores fornecedoras agrícolas nos Estados Unidos, relatou dezenas de barcaças presas no rio Mississippi, perto de St. Louis, Missouri. O fornecimento de fertilizantes minerais pelo transporte fluvial é a principal forma de abastecer os estados do Cinturão do Milho dos EUA, mas este ano é impossível devido às grandes inundações que levaram ao fechamento de muitas eclusas do principal rio do país. As inundações também afetaram a oferta de ferrovias, o que complicou ainda mais a situação das cooperativas agrícolas no Meio-Oeste.

Atrasos no fornecimento foram precedidos por meses de mau tempo e um ciclone. Como resultado mais de 1 milhão de acres (405 mil hectares) de terra foram inundados no mês passado. Segundo o vice-presidente da CHS Gary Halvorson , a situação não vai melhorar até a primeira semana de maio.

Gigantes como Archer Daniels Midland e DowDuPont já relataram um potencial declínio nos lucros. As perdas financeiras devido ao mau tempo já foram sustentadas pelos fabricantes de fertilizantes Nutrien, Yara International e Mosaic. A liderança deste último também anunciou uma redução na liberação de fertilizantes fosfatados nos Estados Unidos em 300 mil toneladas.

Por outro lado, os preços mais altos de fertilizantes minerais nos Estados Unidos e a alta demanda de outros países podem ajudar os fabricantes a recuperar as perdas recentes nos próximos trimestres. Assim, os preços da ureia e amônia anidra no final de abril subiram 20% e 27%, respectivamente.

Quanto aos agricultores, o mau tempo, associado ao aumento dos preços dos fertilizantes minerais, fará com que pensem em substituir o milho pela soja, que exige menos fertilizante para ser aplicado. No entanto, a demanda por este último não é clara devido à guerra comercial em curso com a China.”

fertilizerdaily 26/04/2019