Mercado

Mosaic divulga resultados do 3º trimestre de 2019

A Mosaic anunciou seus resultados financeiros no terceiro trimestre de 2019, que refletem o forte desempenho esperado de potássio na unidade brasileira da empresa, mas foram impactados negativamente pelas margens brutas do segmento de fosfatos abaixo do esperado.

A empresa anunciou uma série de ações para diminuir temporariamente a produção de fosfatos e potássio para atender à demanda em 2019 e espera que esses esforços levem a empresa a capitalizar as oportunidades em 2020.

A Mosaic reportou um prejuízo líquido de US$ 44 milhões no terceiro trimestre deste ano e um lucro líquido ajustado, de US$ 29 milhões. No período, o EBITDA ajustado foi de US$ 366 milhões.

A empresa acelerou o desenvolvimento da mina de potássio Esterhazy K3 por mais um ano, permitindo o fechamento dos eixos K1 e K2 e a eliminação dos custos de gerenciamento de salmoura em meados de 2022, além de reduzir o custo de produção.

A empresa espera exceder a meta de sinergia anunciada anteriormente para US $ 275 milhões em 2019, em até US $ 50 milhões. Além disso, a empresa anunciou uma nova meta de US$ 200 milhões em aumento anual do EBITDA por meio de esforços contínuos de transformação de negócios, começando em 2020 e terminando em 2022.

No acumulado do ano, a Mosaic recomprou 7,1 milhões de ações de suas ações ordinárias por US$ 150 milhões. Durante o terceiro trimestre de 2019, a empresa recomprou 5,8 milhões de ações por US$ 125 milhões. A empresa anunciou anteriormente planos de recompra de até US$ 250 milhões de suas ações ordinárias sob uma autorização de recompra de ações existente.

A Mosaic concluiu as atividades de remediação de barragens de rejeitos e devolveu as minas de fosfato de Tapira e Araxá no Brasil à plena produção em setembro, um mês antes do cronograma original anunciado em março. Todas as atividades necessárias para atender aos novos requisitos de barragens de rejeitos no Brasil estão concluídas e a empresa recebeu novas certificações de segurança necessárias a partir de setembro de 2019 para dar continuidade às operações.

A empresa revisou sua orientação de EBITDA ajustado para todo o ano de US$ 1,4 a US$ 1,5 bilhão e ajustou a orientação de Earnings per share (EPS) para US$ 0,50 a US$ 0,60, refletindo principalmente o impacto de volumes historicamente baixos de vendas de potássio devido a atrasos nos embarques de Canpotex para a Índia e China, e as expectativas de que as margens e os preços dos fosfatos permaneçam consistentes com os níveis de setembro de 2019, US$ 10 a US$ 15 por tonelada abaixo da média do 3T19.

A mina de potássio de Colonsay, Saskatchewan, ficou temporariamente inativa em agosto. No 4 trimestre de 2019, a mina de potássio Esterhazy, Saskatchewan ficará temporariamente inativa, elevando o corte total de potássio em 2019 para 600.000 t. O corte não deve afetar o ritmo de desenvolvimento do projeto da mina Esterhazy K3.

Em 1 de outubro, a empresa anunciou que reduziria a produção de fosfatos em aproximadamente 500.000 t em 2019, desativando temporariamente suas operações na Louisiana.

Espera-se que essas ações acelerem a redução dos estoques de fertilizantes remanescentes após uma fraca temporada de aplicação de primavera nos EUA. Todas as três instalações estão disponíveis para retomar a produção quando a demanda melhorar.

“Embora o ambiente desafiador do mercado tenha persistido por mais tempo do que tínhamos previsto, as ações que estamos tomando nos proporcionam uma plataforma aprimorada para oferecer valor e retorno aos acionistas”, disse o presidente e CEO da Mosaic, Joc O’Rourke. “Estamos vendo volumes se moverem na América do Norte e acreditamos que volumes fortes levarão a melhores preços. Acreditamos que 2020 será um ano muito mais forte para a Mosaic e para os clientes que atendemos.”

WorldFertilizer, 05/11/2019

Fonte da Imagem: Freepik