Mercado

Grupo de R$ 3 bilhões pretende abrir capital

O empresário Henri Slezynger, considerado um dos principais personagens do setor petroquímico brasileiro, está dando mais um passo para expandir seus negócios. O grupo Unigel, uma das maiores companhias químicas do país, com faturamento de cerca de R$ 3 bilhões, deverá ir à bolsa. Esse projeto deveria ter saído do papel este ano, mas assim como outras companhias que pretendiam trilhar o mesmo caminho, a Unigel está esperando as melhores condições do mercado para fazer oferta pública de ações.
“No momento, não vamos fazer nada. A governança da companhia está sendo trabalhada e isso [IPO] é um processo natural”, afirmou Luiz Valverde, diretor financeiro do grupo.
A empresa tem fortes planos de expandir seus negócios dentro e fora do país. “Estamos trabalhando para isso”, afirmou o diretor financeiro.
Fundada em 1966, o grupo Unigel conta com 15 unidades industriais no Brasil e no México. Com atuação nos segmentos de especialidades químicas, fertilizantes, plásticos e embalagens, a companhia emprega cerca de 2 mil pessoas. O grupo Unigel foi um dos acionistas da Petroquímica União (PqU), com 2,5% do capital, que hoje pertence à Braskem (após a incorporação da Quattor).
Com histórico recente de pesados investimentos para ampliar a capacidade de produção de suas unidades no Brasil e de importantes aquisições – como a compra da totalidade das ações da Plastiglas e a aquisição da fábrica de estireno da americana Dow na Bahia, em 2008 -, a Unigel poderá dar uma nova tacada para expandir seus negócios na área de estireno. Fontes do setor afirmam que o grupo poderá fazer uma associação com a Innova, controlada pela Petrobras. Essa fábrica produz estireno, poliestireno e etilbenzeno, matérias-primas da borracha sintética, de resinas acrílicas e da resina poliéster. As duas empresas não comentam o assunto, mas se as negociações forem levadas adiante, as duas companhias, juntas, ganharão peso para se tornar uma gigante global.
Considerado um líder do setor, Slezynger, engenheiro químico e administrador de empresas, tornou-se em março presidente do novo conselho diretor da Abiquim (Associação Brasileira da Indústria Química). O mandato vai até 2013.

Valor Econômico, 22/12/2011