Mercado

Fertilizantes Heringer apresenta novo plano de recuperação judicial

A Fertilizantes Heringer apresentou uma proposta que modifica e consolida seu plano de recuperação judicial, em tramitação na 2ª vara da Comarca de Paulínia, município onde a companhia tem sede. O plano foi inicialmente apresentado em 9 de abril. No documento, a companhia afirma que as propostas estabelecidas no plano “não alcançaram as expectativas de alguns credores e, por isso, foi alvo de objeções”.

A empresa também destaca que entende que “a falência não é alternativa economicamente viável aos credores”. O quadro de credores da Heringer é predominantemente composto por fornecedores e instituições financeiras. O valor dos créditos de todas as classes na recuperação judicial foi atualizado pela companhia em R$ 1,866 bilhão, ante valor de R$ 2,045 bilhões na petição inicial.

Para reestruturar o seu passivo, levantamento de capital de giro e saldar os débitos com seus credores a empresa se propõe a vender as unidades produtivas de Rosário do Catete (SE), Dourados (MS), Três Corações (MG), Rio Verde (GO), Porto Alegre (RS) e Rio Grande (RS), para as quais sugere preço mínimo de R$ 55 milhões (Rosário do Catete); R$ 50 milhões (Dourados); R$ 55 milhões (Três Corações); R$ 45 milhões (Rio Verde); R$ 45 milhões (Porto Alegre); R$ 60 milhões (Rio Grande). No plano anterior, a empresa previa também a alienação da unidade produtiva de Uberaba (MG) por preço mínimo de R$ 65 milhões.

Segundo a companhia, os valores arrecadados das unidades serão inicialmente destinados para a aceleração dos pagamentos dos credores inscritos nas classes de garantia real – credores titulares de créditos concursais que são assegurados por direitos reais de garantia – e quirografários – detentores de créditos quirografários.

A Heringer destacou no plano que se encontra bloqueado juridicamente, pela Eurochem Tradings GMBH, o valor de R$ 9.957.632,08, que será integralmente destinados para aceleração do pagamento dos credores Classe I (trabalhistas).

No início deste ano, a empresa já tinha suspendido atividades de nove unidades de mistura Rondonópolis (MT), Dourados (MS), Três Corações (MG), Uberaba (MG), Rio Verde (GO), Porto Alegre (RS), Rio Grande (RS), Paranaguá (PR) e Rosário do Catete (SE). Essas unidades permanecerão hibernando e mantendo as licenças e as manutenções necessárias para a operação, informa a empresa. Após o pedido de recuperação judicial, a Heringer passou a operar com sete unidades de mistura e capacidade instalada total de 2,9 milhões de toneladas por ano.

Isto É, 29/11/2019

Fonte da Imagem: Freepik