Logística

Portos do Paraná registram volume recorde na descarga de fertilizantes no 1º semestre

O movimento histórico na importação nacional de fertilizantes teve reflexo no volume desembarcado pelos portos paranaenses. Principais portas de entrada do produto no Brasil, os portos de Paranaguá e Antonina nunca importaram tanto quanto no primeiro semestre deste ano: 5.197.527 toneladas. Em relação às 4.529.969 toneladas movimentadas nos mesmos seis meses de 2020, o volume neste ano foi 14,74% maior.

Só no último mês de junho foram 1.059.933 toneladas – a maior descarga de fertilizantes já registrada no Estado. Comparado ao movimento registrado no último mês de maio, 916.924 toneladas, a importação de adubos cresceu cerca de 15,6%. Já em comparação com junho de 2020, quando foram 706.852 toneladas desembarcadas, o aumento foi de quase 50%.

Dos 24 berços disponíveis nos portos paranaenses, em pelo menos sete são descarregados adubos: três no cais comercial do Porto de Paranaguá (208, 209 e 211); dois berços em píer privado e dois berços no Porto de Antonina.

“Além dos três berços prioritários, no Porto de Paranaguá, os navios de fertilizantes podem operar em qualquer outro berço público, quando vago”, explica o diretor de Operações da Portos do Paraná, Luiz Teixeira da Silva Júnior.

Pelos berços públicos do cais comercial de Paranaguá foram movimentadas 3.366.566 toneladas, no primeiro semestre do ano. No mesmo período, em 2020, foram 2.865.300 toneladas. Por esses berços, três empresas descarregam fertilizantes no porto paranaense (Harbor, Rocha e Fortesolo), além da TCP, que recebe o produto em contêineres.

CURIOSIDADE – As principais origens dos fertilizantes que chegam pelos portos de Paranaguá e Antonina são Rússia (23%), China (21%), Canadá (8,4%), Bielorússia (7%) e Catar (6,5%). Entre os fertilizantes que chegam pelos portos paranaenses estão, principalmente, cloreto de potássio (MOP), ureia, MAP (fosfato monoamônio); sulfato de amônio e complexos NPK.

Agência de notícias do Paraná, 21/07/2021.