Logística

Porto de Paranaguá recebe alta quantidade de Cloreto e MAP 

Em outubro deste ano, o Porto do Paranaguá teve a maior entrada no mês, com aproximadamente 776 mil/t de fertilizantes, mas comparado a out/19 o volume importado está 7,21% menor. Neste mesmo mês tivemos também grandes entradas em Rio Grande com uma importação 4,6% maior que em out/19, Santos com uma taxa menor (36,6%) que o mesmo período do ano passado e último porto com um alta entrada foi São Luís, que teve um volume de importação maior que em out/19. 

Os produtos que mais entraram no país foram o Cloreto, com uma entrada de aproximadamente 1 milhão de toneladas, Ureia com 606 mil toneladas, MAP com 444 mil toneladas e Sulfato com aproximadamente 286 toneladas. Em comparação a out/19 observamos que Cloreto e MAP tiveram um aumento no seu volume de importação, aproximadamente 3,8% e 14,36% acima, respectivamente. Já Ureia e Sulfato tiveram uma queda no volume importado no país. 

Ao analisar o mercado nacional de fertilizantes, podemos levantar possíveis fatores que justificam essa queda e aumento na importação. Em relação ao Cloreto, o produto vem sendo consumido cada vez mais, devido ao fato de atingir preços muito baixos e poderem ser estocados por até 6 meses. O MAP não está em uma posição diferente, esse ano o preço também entrou em queda, contribuindo para que o Brasil tenha ocorrido um maior consumo do produto, visto que a relação de troca entre as culturas dos fertilizantes está muito boa, principalmente para soja, entre set/20 e out/20 teve uma baixa disponibilidade do insumo.  

Já no caso da Ureia e Sulfato, que tiveram queda no volume importado, observamos que em julho a Ureia atingiu um preço bem baixo, o que ocasionou uma demanda muito alta nesse mesmo mês. Agora no final de 2020 houve um aumento do preço e uma diminuição da importação. 

Equipe Globalfert, 02/12/2020 

Fonte de Imagem: José Fernando Ogura/ANPr