Logística

Indústrias de Fertilizantes buscam apoio da SPH para qualificar operação portuária

“O Superintendente de Portos e Hidrovias do Estado, Vanderlan Vasconselos recebeu na manhã desta quinta-feira (13) os representantes do Sindicato das Indústrias de Fertilizantes do Rio Grande do Sul (Siargs). O grupo tratou especialmente da estrutura portuária em Porto Alegre e da hidrovia que liga a capital ao Porto de Rio Grande.
De acordo com o superintendente Vanderlan Vasconselos, As indústrias de fertilizantes que atuam junto ao Porto, são responsáveis por 80% da movimentação de cargas registradas atualmente e a meta é ampliar a capacidade operacional. “A busca é pela utilização máxima da capacidade do porto. Para estes empresários, o porto pode ser muito melhor aproveitado desde que haja investimentos na estrutura para ampliar o numero de guindastes, bem como na qualificação das hidrovias”, disse.
O vice-presidente do Siargs, Luís Felipe Schiavon, explicou que a reunião teve como objetivo traçar metas para 2012. Segundo ele, em 2010 a indústria de fertilizantes movimentou 390 mil toneladas de cargas no Porto da Capital. “Sabemos que o porto tem potencial para movimentar muito mais, mas precisamos que ele receba uma atenção maior para ampliar o potencial de operações”, disse. “O que nos deixou muito satisfeitos foi que as reivindicações que viemos fazer hoje, nesta reunião, já estão muito bem encaminhadas pela SPH. O trabalho que o diretor de Portos, Silvio David e o superintendente nos apresentaram foi animador.
Schiavon avalia que com a hidrovia Porto Alegre/Rio Grande devidamente dragada e sinalizada para navegação noturna é o que falta para o trabalho no Porto de Porto Alegre ampliar. “A posição da atual administração da SPH nos deixa mais animados. Temos neles parceiros incansáveis do nosso trabalho. Nos arrependemos de não termos vindo antes. Com certeza já teríamos solucionado ou prevenido os problemas que hoje estamos enfrentando.”

PORTO
O sindicalista informou que ao todo três empresas de insumos e fertilizantes atuam no porto da Capital. As três, juntas, movimentaram em 2010, 390 mil toneladas de cargas. “Sabemos do quanto o Porto é importante para economia do Estado. Trabalhamos em função disso. Acreditamos e apostamos na cultura. Sabemos de sua importância, mas em nenhum momento ela pode afetar o desenvolvimento e a operacionalidade do Porto”, avalia Schiavon. “A revitalização é um projeto importante, desde que não interfira no porto Organizado. A operação portuária é sinônimo de emprego e renda. Não há cultura que se sustente sem esses dois fatores.”
Além do vice presidente do Siargs, participaram ainda o representante da Unifertil, Rodrigo Oliveira e da Fertilizantes Piratini, Paulo Roberto Moreira, Marcelo Figurelli Xavier e José Claudino dos Santos.

SHP , 13/10/2011