Logística

Audiência debaterá aumento de terminal no Porto de Santos

A ampliação do terminal marítimo da Vale no Porto de Santos será tema de audiência pública no próximo dia 15. A unidade fica na Área Continental de Santos, ao final do Canal de Piaçaguera, ao lado da instalação portuária da usina de Cubatão da Usiminas.
O evento está marcado para as 17 horas, no auditório do Campus Dom David Picão da Universidade Católica de Santos (Rua Carvalho de Mendonça, 144, Encruzilhada, Santos).
O processo de licenciamento ambiental da ampliação é avaliado pelo Governo do Estado. Em julho passado, durante apresentação do projeto em São Paulo, o governador Geraldo Alckmin prometeu que a análise ambiental do empreendimento seria “rápida”. “Nós vamos fazer umgrande esforço para agilizar as questões ambientais e tributárias”, disse. No último dia 18, em apresentação do projeto no Paço Municipal de Santos, o prefeito João Paulo Papa também declarou apoio político à iniciativa da Vale.
A maioria das obras de engenharia no Porto de Santos é licenciada pelo Governo Federal porque é construída em terrenos da União. O terminal da Vale, ao contrário, fica em área particular.
Com a ampliação, a instalação, que hoje possui 185 mil metros quadrados, passará a ter 800 mil metros quadrados. A expansão possibilitará que a empresa movimente novos produtos. Além de importar fertilizantes, a Vale exportará açúcar, grãos e etanol. A capacidade de movimentação anual da unidade será de 18 milhões de toneladas, contra 3 milhões atualmente – e que não são utilizadas em sua plenitude. O investimento, somente no terminal, será de R$ 2,1 bilhões. O aporte total da Vale no chamado corredor paulista será de R$ 3,5 bilhões.
Segundo o diretor de Carga Geral daVale, Marcello Spinelli, a unidade não irá operar com caminhões. “Nada contra os caminhoneiros”, brincou. Segundo ele, a opção foi operacional. “Iremos descarregar em seis horas, contando o percurso da locomotiva da entrada da Cidade até o terminal, a operação e a saída. Hoje, fazemos isso em 48 horas”.
Para chegar a este resultado, a Vale construirá 14 quilômetros de linhas ferroviárias. Isto possibilitará à unidade receber em torno de 240 vagões por dia.

Empregos
Pelo menos 550 novos empregos serão criados quando o terminal começar a operar com suas novas áreas, segundo a Vale. Na fase de obras, serão 2.500.
A empresa informou que começa a preparar sua área de Recursos Humanos para selecionar mão de obra local e, para isso, deve contar com o apoio de órgãos como o Centro de Excelência Portuária (Cenep) e projetos da Prefeitura de Santos.

A Tribuna, 30/11/2011