Logística

A movimentação de cargas no Porto de Antonina deverá crescer 50% em 2021

Memorando para instalar terminal no Porto de Santos para fertilizantes é fechado

O Porto de Antonina, localizado no Paraná, projeta um crescimento de 50% na movimentação de cargas em 2021. O aumento será puxado especialmente pelo escoamento de mercadorias como o farelo de soja não transgênico, fertilizantes e novos produtos como madeira, cavaco, grãos orgânicos e cargas de projeto. 

Segundo a Terminais Portuários da Ponta do Félix (TPPF), empresa responsável pela concessão do porto, a expectativa se deve ao cenário favorável esperado para o próximo ano que inclui dólar elevado, preço das commodities em alta e a demanda crescente por alimentos em todo o mundo. 

Além disso, segundo ele, outra proposta que avança é a navegação de cabotagem, incentivada pelo Governo Federal, e que encaminhou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei 4199/2020 e que institui o Programa de Estímulo ao Transporte por Cabotagem, a chamada BR do Mar. O objetivo é estabelecer novas condições para ampliação de frota dedicada ao transporte de cargas via cabotagem no Brasil. 

Em 2020, o porto de Antonina movimentou 950.626 toneladas de produtos – entre granel, fertilizante, farelo de soja, cargas geral e açúcar – representando um acréscimo de 5% se comparado ao ano de 2019, quando a movimentação atingiu a marca de 908 mil toneladas. 

Conor Agronegócio, 25/12/2020 

Fonte da Imagem: Pexels