Logística

A escassez de contêineres continua restringindo as opções em alto mar

Os gerentes de logística que dependem do transporte marítimo de carga foram confrontados com uma série de calamidades e dificuldades neste ano, observam analistas do setor.

A pandemia levou a mudanças globais nos padrões de consumo e compras, incluindo um aumento no comércio eletrônico . Isso foi seguido pelo aumento da demanda de importação de bens de consumo manufaturados – a maioria dos quais transportados em navios porta-contêineres.

A crise dos contêineres também é reflexo de uma desaceleração e atrasos na cadeia de abastecimento marítimo devido às tensões causadas pela pandemia. Isso inclui escassez de mão de obra portuária, congestionamento portuário e restrições de capacidade nos sistemas de transporte terrestre.

O monitoramento de escalas e escalas portuárias, juntamente com um melhor rastreamento e otimização de escalas, estão entre as questões cobertas pelo crescente campo da “informática marítima”, conclui a UNCTAD.
Enquanto isso, a Comissão Marítima Federal dos EUA votou para criar um Comitê Consultivo de Remetente Nacional para aconselhar o FMC “nas políticas relacionadas à competitividade, confiabilidade, integridade e justiça do sistema de entrega de frete marítimo internacional.

Esta crise vem afetando a comercialização mundial de fertilizantes diretamente, se observa custos mais caros em produtos importados dado o elevado valor CFR do produto ao chegar no Brasil. O mercado, no momento atual, se encontra sem saídas e importadores estão tendo que pagar os preços elevados. Esses elevados preços são repassados e acabam por atingir principalmente o consumidor final.

Logisticsmgmt, 12/07/2021.