Culturas

Unipar pesquisa cama de frango

“O curso de Medicina Veterinária da Universidade Paranaense (Unipar), Unidade de Umuarama, está desenvolvendo estudo no Aviário Experimental do Hospital Veterinário da voltado a avaliar meios para aumento no rendimento da carcaça de frango de corte.
Intitulado ‘influência da cama tratada com microrganismos benéficos sobre o desempenho, rendimento de carcaça e a qualidade da carne de frangos de corte’, o projeto de pesquisa, coordenado pelos professores Luciana Kazue Otutumi e Ranulfo Piau Júnior, teve seus experimentos iniciados em outubro. Estudantes ligados ao Pibic (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica) e ao Pic (Programa de Iniciação Científica), além de outros graduandos de Medicina Veterinária, auxiliam nos trabalhos.
“O estudo objetiva verificar se há relação na melhoria no desempenho, rendimento e qualidade da carcaça de frangos de corte pela melhoria nas condições onde os animais são criados, em função da aplicação de micro-organismos que reduzem a emissão de amônia, que vai melhorar a qualidade microbiológica da cama e o seu uso como fertilizante”, pontua Luciana Otutumi.
Para realização das atividades, o projeto conta com a parceria da Agroindustrial Parati-Averama, que doou os pintainhos e caixas de transporte para realização dos experimentos, e da Korin Meio Ambiente, responsável pela doação do produto para tratamento da cama. Todas as ações são concentradas no Aviário Experimental, laboratórios de nutrição animal do HV e nutrição animal do Câmpus-Sede e, posteriormente, no laboratório de alimentos do curso de Medicina Veterinária da UEM (Universidade Estadual de Maringá).
Semanalmente é feita pesagem das aves e ração para determinação do ganho de peso e consumo de ração. Além disso, semanalmente são colhidas amostras de cama para avaliar o pH, visto que o produto aplicado apresenta pH ácido”, explica a professora. “As amostras colhidas de cama estão em processamento no laboratório. Ainda iremos finalizar a avaliação do rendimento de carcaça e qualidade da carcaça. As análises de qualidade da carcaça provavelmente serão feitas na UEM/Umuarama”, emenda.
No processo, os estudantes acompanham o tratamento dos animais e ajudam na manutenção da limpeza, na pesagem, no preparo do produto para aplicação e nas análises laboratoriais. Ao final do projeto, eles atuarão no abate e avaliação do rendimento e da qualidade da carcaça. Em relação a resultados, as expectativas são boas. “Espera-se que com o tratamento da cama seja possível melhorar sua qualidade, reduzindo o pH e patógenos e, por consequência, reduzir a emissão de amônia no ambiente”.

Unipar, 14/11/2011