Culturas

Renda agrícola mantém evolução; em 2012, produção terá valor de R$ 212 bi

O ano caminha para o final e a renda agrícola será recorde, superando os R$ 184 bilhões do ano passado.
Os dados mais recentes do Ministério da Agricultura, referentes a novembro, indicam que o valor bruto da produção das 20 principais lavouras atingiu o recorde de $ 206 bilhões neste ano.
José Garcia Gasques, coordenador de Planejamento Estratégico do Ministério da Agricultura e responsável pelas estatísticas, prevê novo aumento da renda no próximo ano. Na avaliação dele, o Valor Bruto da Produção atingirá R$ 212 bilhões em 2012.
Entre as principais culturas, a cana-de-açúcar registrará a maior evolução percentual no próximo ano. As receitas devem somar R$ 38,7 bilhões, com aumento de 14,5%. Neste ano, a renda atingiu R$ 33,8 bilhões, com alta de apenas 1% sobre 2010.
A líder soja, embora deva ocorrer plantio e produção maiores, terá queda de 4,8% na renda, que recua para R$ 51,2 bilhões. Um dos destaques fica para o milho, que, após ter registrado alta de 31% no valor de produção neste ano, volta a crescer 11% no próximo.
Os dados apurados por Gasques indicam que o próximo ano será um bom período para os produtores de tomate, que deverão obter produção de R$ 8,9 bilhões.
Se essas estimativas se confirmarem, a renda dos produtores crescerá 53% no período, a maior prevista pelo ministério.
Já os produtores de batata deverão ter redução de 66% no valor da produção, que cairá para R$ 1 bilhão.
A região Sudeste, com R$ 60 bilhões, lidera a renda no próximo ano. A Sul fica com R$ 52 bilhões e a Centro-Oeste, com R$ 51 bilhões, segundo prevê o ministério.

Sustentável: A ETH Bioenergia obteve ontem a certificação internacional Bonsucro, que atesta práticas sustentáveis e permite a exportação de derivados da cana para países da União Europeia e para a Ásia.

Certificar todas: O volume de cana certificado é de 1,9 milhão de toneladas de unidade greenfield em Mirante do Paranapanema (SP). A meta é certificar todas as unidades até o final da safra 2012/13, afirma José Carlos Grubisich, presidente da ETH Bioenergia.

Quanto rende: As receitas com as exportações do complexo soja deverão atingir US$ 21 bilhões no próximo ano, conforme estimativas da Abiove. Se confirmadas, essas receitas recuariam 11% em relação ao recorde de US$ 23,5 bilhões deste ano.

Exportações: A produção nacional de soja deverá atingir 74,6 milhões de toneladas nesta safra 2011/12. Desse volume, 33,5 milhões serão exportados, segundo a Abiove.

Importação de adubo é de 18 milhões de toneladas: Os gastos com importações de adubos e de fertilizantes ainda não chegaram aos patamares de 2008, quando as commodities passavam por forte elevação de preços.
O volume de importação deste ano, no entanto, já está mais aquecido do que o daquele ano. Até novembro, as indústrias trouxeram 18,8 milhões de toneladas para o país, um aumento de 32% em relação a igual período do ano passado.
Os gastos deste ano somam US$ 8,3 bilhões, 84% acima dos de igual período de 2010, mas inferiores aos US$ 9 bilhões de janeiro a novembro de 2008, mostra a Secex.
Cloreto de potássio, com 7 milhões de toneladas, lidera as importações no período. As compras de ureia somaram 3 milhões de toneladas.

Folha de São Paulo, 13/12/2011