Culturas

Pecuaristas começam o trabalho de adubação e renovação dos pastos

“O pecuarista Norberto Sebastiani aproveita o bom tempo para começar o serviço de adubar uma das áreas de pasto na propriedade, que fica no município de Itapetininga, no estado de São Paulo. Ele tem um rebanho de 110 vacas, a maioria da raça girolando, sendo que 45 estão produzindo leite. A partir de agora, o gado vai se alimentar praticamente só do pasto. Por isso, ele precisa redobrar os cuidados.
“”Se eu quero trabalhar com alta lotação, eu preciso fornecer comida para a terra. A adubação é importante para conseguir trabalhar com 10 animais em um hectare”, diz Norberto.
O agrônomo Rodolfo Cyrineu diz que a primeira providência para melhorar a qualidade da pastagem é fazer análise do solo. “Uma análise de solo custa entre R$ 18 e R$ 35. Isso vai definir toda a tecnologia que será implementada. Todo o sucesso depende de algo muito simples e barato”, explica Rodolfo.
Há cinco anos, Norberto passou a fazer análise de solo para aplicar a adubação correta. Isso tem garantido um pasto verdinho e nutritivo. O pecuarista quer aumentar o número de animais por hectare por isso está renovando o pasto, ou seja, colocando sementes de capim de maior produtividade.
O pecuarista só reclama da alta nos custos. No caso do capim tanzânia, que ele está usando na propriedade, o quilo da semente aumentou 7% este ano. No adubo, o acréscimo no valor da tonelada foi bem maior: 32%. Mesmo assim, ele nem pensa em diminuir a quantidade de adubo utilizada no pasto. Cuidando melhor do pasto, Norberto tira 800 litros de leite por dia, o dobro de cinco anos atrás.”

Globo Rural, 06/11/2011